Transtorno do Pesadelo

Por Flávio Pereira

Características do Transtorno do Pesadelo

Ocorrências repetidas de sonhos prolongados que envolvem esforços para evitar ou enfrentar ameaças à segurança, à sobrevivência, à integridade física, perigo iminente, emoções negativas. Ao despertar, os pesadelos são bem lembrados e podem ser descritos com detalhes.

Transtorno de Pesadelos

Transtorno de Pesadelos

Ao despertar o indivíduo torna-se orientado. Os pesadelos terminam com o despertar e o retorno rápido ao estado de alerta. Entretanto, as emoções tensas persistem até a vigília e podem contribuir para dificultar o retornar ao sono e para o desconforto durante o dia.

A perturbação do sono causa sofrimento ou prejuízo no funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes da vida.

Os sintomas de pesadelo não são atribuíveis aos efeitos de alguma substância como drogas ou medicamentos.

Deve-se verificar a frequência. Leve: menos de um episódio por semana em média. Moderada: um ou mais episódios por semana, porém menos do que todas as noites. Grave: episódios todas as noites.

Características associadas que apoiam o diagnóstico de Transtorno do Pesadelo: suores, taquicardia, movimentos do corpo, vocalizações e manifestação de emoção.

Indivíduos com Transtorno do Pesadelo estão sob risco maior de ideação suicida e de tentativas de suicídio.

A prevalência (quanto é comum) de pesadelos aumenta nas idades de 10 a 13 anos para ambos os sexos e continua a aumentar entre as idades de 20 a 29 anos nas mulheres (e decresce em homens), quando pode ser duas vezes mais elevada para o sexo feminino em relação ao masculino.

Indivíduos com Transtorno do Pesadelo relatam eventos adversos passados de modo mais frequente, porém não necessariamente traumas, e apresentam perturbações da personalidade ou diagnóstico psiquiátrico.

Privação ou fragmentação do sono e horários irregulares do sono-vigília que alteram a intensidade, o tempo ou a quantidade de sono profundo podem colocar o indivíduo em situação para desenvolver o Transtorno do Pesadelo.

Estudos realizados com gêmeos identificaram efeitos genéticos na pré- disposição para o Transtorno do Pesadelo.

Tranquilizar a criança depois de pesadelos, podem protegê-la contra o desenvolvimento do Transtorno do Pesadelo.

O conteúdo dos pesadelos é diferente nas mulheres adultas que tendem a relatar temas como assédio sexual, desaparecimento ou morte de entes queridos. Homens adultos relatam temas de agressão física, guerra ou terror.

O Transtorno do Pesadelo causa mais sofrimento subjetivo significativo do que prejuízos sociais ou profissionais demonstráveis. Mas, se os despertares são frequentes ou provocam evitação do sono, os indivíduos podem sentir sonolência excessiva durante o dia, concentração ruim, ansiedade, depressão ou irritabilidade.

Comente este texto!






Voltar para o Topo

Psicólogo Flávio Roberto Pereira

Sobre Flávio Pereira