Mutismo Seletivo

Por Flávio Pereira

Mutismo SeletivoMutismo Seletivo

Mutismo Seletivo é o fracasso persistente em falar em situações sociais específicas onde seria esperado que falasse, como na escola, ou com colegas, apesar de falar em outras situações.

O transtorno interfere no relacionamento escolar ou ocupacional ou na comunicação social.

Dura no mínimo 1 mês e não está limitado ao primeiro mês de escolarização, no qual muitas crianças podem mostrar-se tímidas e relutantes em falar.

O Mutismo Seletivo não deve ser diagnosticado se o fracasso em falar se deve unicamente a uma falta de conhecimento ou de conforto com a linguagem necessária na situação social.

O Mutismo Seletivo não deve ser diagnosticado se o transtorno é melhor explicado por embaraço relacionado a ter um Transtorno da Comunicação como a Tartamudez ou se ocorre exclusivamente durante um Transtorno Invasivo do Desenvolvimento, Esquizofrenia ou outro Transtorno Psicótico.

As crianças com este transtorno ao invés de se comunicarem pela verbalização normal usam gestos, acenam ou balançam a cabeça, puxam ou empurram ou, em alguns casos, por vocalizações monossilábicas, curtas ou monótonas, ou em um tom de voz alterado.

Características associadas ao Mutismo Seletivo:

Excessiva timidez
Medo do embaraço social
Isolamento e retraimento social
Dependência
Traços compulsivos
Negativismo
Acessos de raiva
Comportamento controlador ou opositivo
Provocações
Agressões
Ansiedade

Transtornos associados ao Mutismo Seletivo:

Transtornos de Ansiedade (especialmente Fobia Social)
Retardo Mental
Estressores psicossociais extremos

O Mutismo Seletivo ocasionalmente pode estar associado um Transtorno da Comunicação (Transtorno Fonológico, Transtorno da Linguagem Expressiva ou Transtorno Misto da Linguagem Receptivo-Expressiva) ou uma condição médica geral que cause anormalidades da articulação.

Comente este texto!






Voltar para o Topo

Psicólogo Flávio Roberto Pereira

Sobre Flávio Pereira