Personalidade Autoritária, Confrontadora

Por Flávio Pereira

i406277Orientada para o poder, a coragem e o confronto.                                                           

Pontos positivos: líder. Autoconfiante. Protetor. Estratégico. Planejador.
Organizador. Supera obstáculos. Dinâmico. Muito ativo. Encorajador.
Leva os projetos adiante. Apóia o sucesso dos outros. Autoconfiante. Objetivo.
Competente. Sincero. Poder de decisão. Determinação. Convicção.
Lealdade. Corajoso. É perseverante. Gosta de comandar.
Tem grande energia e vai atrás exatamente do que quer.
Os obstáculos o estimulam. Não gosta de teorias. É direto e prático.

Pontos negativos:  tirânico. Violento. Insensível. Possessivo extremado. Controlador. Dominador. Autoritário. Intimidador. Confrontador. Rebelde. Diz o que pensa. Egocêntrico. Arrogante. Intransigente. Exigente. Rancoroso. Encontra defeito em tudo. Impaciente. Enerva-se ao lidar com pessoas mais lentas e “fracas”. Despreza a fraqueza. Pensa que as emoções doces são para pessoas fracas. Espera demais de si mesmo e dos outros. Sente-se usado quando o desempenho dos outros não corresponde às expectativas suas.

Quer ter forte impacto sobre o mundo. Está convencido de que o mundo é perigoso e injusto. Sua justiça própria é a única justiça. Considera os outros uma ameaça, e a vida, um combate. Não suporta a menor frustração, que desencadeia nele surtos violentos e breves. Gosta do poder real, a qualquer preço, quer o controle e chega a ser dominador. Não gosta de dividir o poder. Ou está com ele ou está contra ele. Descobre os pontos fracos dos outros e não hesita em usá-los para atingir seus objetivos. Quando subordinado gosta de questionar as regras e os limites da autoridade. Tem opiniões pessoais muito fortes que considera as certas e é raro questionar as mesmas. É radical. Gosta de ditar as regras e muitas vezes quebra as mesmas. Age por impulso. Adora uma briga que pode surgir até de um motivo irrelevante. Encara a vida na base do tudo ou nada, sem meio termo. Se expressa de forma direta e pode ser intimidador. Manifesta a raiva e a força abertamente. Agressivo. Exige que o outro faça o que ele quer. Dita os procedimentos e os limites. Faz ameaças; intimida, provoca temor. Rolo-compressor. É do gênero “Será do meu jeito”. Muito protetor, defende a si mesmo, aos amigos e aos que considera fracos. Pune os “maus procedimentos” e os “culpados” para proteger os inocentes e promover a justiça. As pessoas o adoram ou detestam este tipo de personalidade. As primeiras ele protege, as segundas ele ataca.

Temendo não ser respeitado ou não receber o que lhe é devido ou perder o controle da situação se vangloria, blefa, faz grandes promessas e quer que todos saibam que ele é que manda. Oprime, ameaça, se mostra mal-humorado. Quando sente que os outros estão contra ele, se comporta de modo socialmente intolerável, mostra-se vingativo, violento e cruel. Não respeita limites, quebra qualquer escrúpulo. Ilude-se de que é invulnerável, o que pode levá-lo a colocar em risco a si mesmo e aos demais. Quando está convencido de que tem inimigos que podem derrotá-lo prefere destruir implacavelmente o opositor, e deixar até rastro de homicídio.

Forte identificação: com a sensação de intensidade decorrente da resistência ou desafio às pessoas e ao meio.
O que valoriza: independência e auto-segurança. Quer depender o mínimo possível de alguém e contar sempre consigo mesmo.
Como lida com os outros: mantendo-se em guarda, impedindo que as pessoas se aproximem demais e protegendo-se das mágoas e da ansiedade que tem dos outros. Teme que os outros estejam se voltando contra ele e queiram vingar-se.
Resistência: ao reconhecimento da própria vulnerabilidade e necessidade de cuidados.
Tenta manter a auto-imagem de: forte, resistente, independente, ativo, expressivo, direto, hábil.
Como manipula os outros:
dominando os demais e exigindo que faça o que manda.

Regra de chumbo: temendo ser magoado ou controlado pelo outro, o faz temer ser magoado ou controlado por meio de ameaças e ações intimidadoras.
Medo fundamental:
o de ser magoado ou controlado; medo de ser invadido. Teme a intimidade e a vulnerabilidade decorrentes do excesso de confiança e afeto.
Desejo fundamental:
proteger-se; determinar o curso de sua própria vida.

Mensagem do superego (juiz): “você estará num bom caminho se for forte e conseguir dominar as situações.”
Dúvidas cruéis e sofrimento: como saberei que estou sendo forte e que estarei protegido? De quanto controle preciso? Dominar os outros de fato aumenta meu bem-estar?
Sentimento forte (paixão), vício emocional: excesso, a luxúria. É imoderado não só no sexo como em qualquer área: bebida, comida, drogas, fumo, festas, lazer e trabalhar até a exaustão. Cultiva a luxúria, porque tem necessidade de quantidade e intensidade. A luxúria leva o tipo 8 a tentar controlar tudo em sua vida e afirmar-se com vigor.
Compulsão:
evitar qualquer tipo de fraqueza.

Mecanismo de defesa: negação. Nega o sofrimento sentido ou infligido aos outros. Quanto mais tem de enfrentar o sofrimento, mais se mostra forte, agressivo e raivoso. Nega o medo a ponto de chegar a situações perigosas. A negação o faz substituir sentimentos como a ternura em excesso como a luxúria. Nega o cansaço, a doença. Nega seu impacto sobre os outros e atribui isso à “fraqueza” das pessoas. O sentimento de culpa quase inexiste.
Potencial patológico:
sensação paranóica de estar sendo traído por gente “do outro lado”. Isolamento e amargura crescentes. Falta de consciência e empatia; dureza de coração. Episódios de cólera, violência e destrutividade física. Elaboração de planos de vingança e retaliação contra “inimigos”. Visão de si mesmo como “fora da lei”; comportamentos criminosos. Episódios de contra-ataque à sociedade (sociopatia). Distúrbio de personalidade anti-social. Comportamento sádico.
Tipo sadio:
quando deixa de lado sua compulsão por evitar a fraqueza, sua autoconfiança se torna verdadeira. Não emprega mais a força para se proteger e a põe a serviço das grandes causas. Aceita os outros como são e os escuta. Descobre a confiança e a compaixão.
Pensamento e ação curativa:
lembra que é de sua verdadeira natureza é ser capaz de influir sobre o mundo de forma positiva e não por meio da agressividade e da dominância. Torna-se mais afetuoso e generoso.

Reflexão: talvez esta pessoa não esteja querendo tirar vantagem de mim. Talvez eu possa baixar um pouco mais a guarda. Talvez eu possa deixar meu coração ser tocado mais profundamente.

Pensamentos do tipo; processador inconsciente:

“Dar um boi para não entrar e uma boiada para não sair”.
“Manda quem pode, obedece quem tem juízo”.
“Será do meu jeito ou de jeito nenhum”.
“Não se intrometa comigo”.

Profissões / atividades atraentes: empresários, políticos, líderes e funcionários controladores e ambiciosos. lugares que dependam de bom comportamento e da obediência a ordens. Não gosta de situações onde estão sujeitos a manobras.

Profissões / atividades não atraentes: lugares que dependam de bom comportamento e da obediência a ordens. Não gosta de situações onde estão sujeitos a manobras.

Comente este texto!






Voltar para o Topo

Psicólogo Flávio Roberto Pereira

Sobre Flávio Pereira