Personalidade Despreocupada, Imoderada

Por Flávio Pereira

AMOR__~1Orientada para a alegria, o otimismo e o descomprometimento.

Pontos positivos: entusiasta. Feliz. Multitarefa. Mente ágil. Energia.
Vivacidade. Divertido. Cativante. Espontâneo. Imaginação. Improvisador.
Criatividade. Curiosidade. Generosidade. Alegria. Despreocupação.
Otimista (“Se a vida lhe der limões, faça limonadas”.). Alto astral.

Pontos negativos:  impulsivo. Imoderado. Voracidade. Insaciabilidade.
Consumismo. Disperso. Egocêntrico. Rebelde. Manias. Inquietação. Excesso de opinião. Atitude defensiva. Distração. Sonhador. Idealista. Pouca confiabilidade. Autodestruição. Aventureiro. Superficial. Dificuldade com regras. Escapismo. Indisciplinado. Argumentador compulsivo e pode ser manipulador. Inconstante na empatia. Reativo a críticas. Racionaliza as experiências negativas. Narcisista (voltado para si). Pouco sensíveis aos valores dos outros. Faz fuga no prazer e nas distrações. Anti-rotina. Paralisia.

Ágil para lidar com várias coisas ao mesmo tempo, dando prioridade ao prazer. Tem grande quantidade de idéias e planos, beirando o impossível. Busca uma vida agradável. Suporta mal as obrigações, as formalidade, as proibições e tudo o que pode privá-lo de sua liberdade provoca a sua ira. Rebela-se física, teórica e intelectualmente. Atenção concentrada nos planos e prazeres. Reenquadra a realidade excluindo os problemas, os desprazeres. Olha para o mundo com óculos cor-de-rosa.Vê o melhor nas coisas e nas pessoas. Em situações difíceis escapa para fantasias mentais. Desejo de experimentar tudo e do melhor. Desprezo pela rotina. Evita o tédio. Busca muitas atividades, coisas interessantes. Assume muitos compromissos ao mesmo tempo para fugir das dificuldades emocionais. Quando optou por algo que o faz sofrer, abandona e refugia-se em outra coisa. Dificuldade em completar seus projetos. Sempre tem alternativas para o caso de apuros. Fascinado por conhecer pessoas novas, lugares, ter novas experiências e contato com idéias inovadoras. Pensa muito no futuro, sem se preocupar com a realidade, tem tudo planejado para conseguir o que deseja. Ignora ou rejeita a parte do real que sofre. Trabalha duro em projetos com vista a bons momentos. Nunca acha que tem o bastante. Tem dificuldade para decidir porque cria muitas opções e quando age é rápido. Desiste ao primeiro problema e já busca outra atividade mais agradável. Não distingue muito entre o plano concebido e o realizado. Por em prática não é sua preocupação. Idealizar é o que importa. Tem medo dos outros e isso ele enfrenta fazendo brincadeirinhas, rindo. Entretém o outro com seus planos agradáveis e insiste que atenda as suas constantes exigências e sonhos pessoais. As pessoas não o acham sério, o que reforça mais um lado infantil. Quando as pessoas falam de problemas escapa deles ou se retrai. Tem dificuldade em envolver-se afetivamente e em geral casa-se tarde.

Temendo perder experiências agradáveis, sofrer, frustrar-se ou entediar-se, torna-se inquieto e busca mais opções. Ocupa-se com muitas tarefas, planos e informações. Distrai-se com brincadeiras, novas aventuras e perde a concentração. Torna-se impaciente, exigente, negligente, pouco satisfeito, busca gratificações instantâneas e os excessos. Temendo o sofrimento, entra em pânico, evita a dor a qualquer preço, comporta-se com impulsividade e irresponsabilidade, para aliviar a ansiedade. Perde o controle, torna-se mais instável, crítico, imprevisível, alterna-se o estado frenético com depressão. Quando convencido de que arruinou a saúde e a alegria de viver, fica paralisado, cheio de pânico ou busca mais excessos que causam problemas financeiros e físicos.

Forte identificação: com a emoção proveniente da antecipação de futuras experiências positivas.
O que valoriza: experiências agradáveis, prazer, atividade, emoção e diversão.
O que evita: o sofrimento e o próprio vazio; a responsabilidade pelo próprio sofrimento e o alheio.
Como lida com as necessidades: ênfase excessiva nas próprias necessidades; as alheias o fazem sentir-se logo sobrecarregado.
Resistência: ao reconhecimento do próprio sofrimento e da ansiedade.
Tenta manter a auto-imagem de: entusiasta, alegre, cheio de energia, positivo, espírito livre, espontâneo, sociável, ávido.
Como manipula os outros:
entretendo as pessoas e insistindo em que atendam as suas exigências.

Regra de chumbo: temendo algum tipo de dor ou privação, impõe ao outro a dor e o faz sentir-se privado de várias formas.
Medo fundamental:
o de sofrer dores e privações. Medo de que suas atividades lhe estejam trazendo sofrimento e infelicidade.
Desejo fundamental:
ser feliz, satisfazer-se, realizar-se.

Mensagem do superego (juiz interior): “você estará num bom caminho se obtiver o que precisa”.
Dúvidas cruéis e sofrimento: sei a diferença entre necessidade e vontade? Eu me sentiria bem se uma determinada necessidade minha não fosse satisfeita? Nesse caso, ela é mesmo uma necessidade?  Procura aquilo que lhe trará satisfação, mas continua se sentindo insatisfeito e frustrado.
Sentimento forte (paixão), vício emocional: intemperança (glutonaria), imoderação. Cultiva a “Gula”, é insaciável por novas experiências. Adora excessos. Quanto mais prazer, mais prazer quer. Tenta superar a sensação de vazio interior dedicando-se a inúmeras idéias e atividades estimulantes e positivas, mas nunca acha que tem o bastante.
Compulsão:
evitar o sofrimento. Procura o prazer no momento e a qualquer preço.

Mecanismo de defesa: racionalização. Consiste em eliminar o sofrimento através de um discurso lógico e satisfatório. A racionalização é uma recusa da responsabilidade. Quando recebe uma crítica racionaliza e se torna agressivo e mostra que não dá a mínima.
Potencial patológico:
dispersão extrema e tentativas de fuga da ansiedade; vícios crônicos graves e debilitantes; abuso de drogas; impulsividade, agressividade e reações infantis; atividades compulsivas e humor eufórico; períodos de perda de controle; mania, depressão e extrema instabilidade de humor; períodos de pânico e terror paralisante; distúrbio de personalidade obsessivo-compulsivo.

Tipo sadio: deixa de acreditar que precisa de determinados objetos ou experiências para ser feliz. Compreende que neste mundo o sofrimento não pode ser totalmente evitado. Pára de se refugiar no futuro. Põe sua criatividade e energia a serviço de coisas concretas. Torna-se mais objetivo e concentrado e profundo. Conclui seus projetos. Adquire o senso da medida e da virtude do tipo: a temperança.

Pensamento e ação curativa: lembra que é de sua verdadeira natureza é ser feliz não por meio do prazer imediato. Contribuir para que a experiência de todos seja rica.
Reflexão: talvez o que eu tenha seja o suficiente. Talvez eu não precise estar em nenhum outro lugar agora. Talvez eu não esteja perdendo nada de interessante.

Pensamentos do tipo; processador inconsciente:

“Faço do limão uma limonada”.
“Logo estarei viajando de novo”.

Profissões / atividades atraentes: escritores, editores, contistas. Áreas que exijam criatividade e busca de soluções como marketing, vendas, planejamento, busca de idéias e síntese delas. Áreas para os idealistas e futuristas com visão interdisciplinar.

Profissões / atividades não atraentes: trabalhos que envolvem rotinas ou lugares fechados, ex. contabilidade. Trabalhos sob supervisão de chefes críticos.

Comente este texto!






Voltar para o Topo

Psicólogo Flávio Roberto Pereira

Sobre Flávio Pereira