Sadismo Sexual

Por Flávio Pereira

Sadismo Sexual

Sadismo Sexual envolve atos, fantasias, impulsos e comportamento nos quais o sofrimento psicológico ou físico da vítima é sexualmente excitante para o indivíduo. Há sofrimento significativo, prejuízos no funcionamento social e ocupacional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.Sadismo Sexual

Sobre as fantasias: o indivíduo se sente perturbado por suas fantasias sádicas, que podem ser manifestadas durante o ato sexual. As fantasias sádicas envolvem, normalmente, o controle sobre a vítima, que se sente aterrorizada ante o ato sádico.

O indivíduo pode agir segundo seus desejos sádicos com um parceiro que consente em sofrer dor ou humilhação, neste caso um Masoquista Sexual.

Outros sádicos atuam com vítimas que não dão consentimento.
O sofrimento da vítima neste caso e naquele é o que causa excitação sexual.

Quando o Sadismo Sexual é praticado com parceiros que não consentem, o sadismo tende a ser repetido até que o indivíduo seja preso.

Exemplos de comportamentos sádicos:

Forçar a vítima a rastejar ou mantê-la em uma jaula.
Atar, dar palmadas, chicotear, vendar, espancar, beliscar.
Bater, dar choques elétricos, queimar.
Estuprar, torturar, cortar, estrangular, esfaquear, mutilar ou matar a vítima.
As fantasias sexuais sádicas tendem a ter estado presentes na infância.
A idade de início das atividades sádicas é variável, mas habitualmente ocorre nos primeiros anos da vida adulta.

O Sadismo Sexual geralmente é crônico. A gravidade dos atos sádicos pode aumentar com o tempo.

Quando o Sadismo Sexual é severo e está associado com o Transtorno da Personalidade Anti-Social, os indivíduos podem ferir gravemente ou matar suas vítimas.

Comente este texto!






Voltar para o Topo

Psicólogo Flávio Roberto Pereira

Sobre Flávio Pereira