Transtorno de Terror Noturno

Por Flávio Pereira

Transtorno de Terror NoturnoTranstorno de Terror Noturno

O Transtorno de Terror Noturno é caracterizado por um despertar abrupto, repetido, de terror durante o sono, em geral, começando com um grito de pânico, durante a primeira terça parte do principal episódio de sono e dura cerca de 1 a 10 minutos.

Episódio típico: o indivíduo senta-se de forma abrupta na cama gritando, aterrorizado, medo intenso, grande ansiedade, taquicardia, respiração rápida, rubor cutâneo, sudorese, dilatação das pupilas e tônus muscular aumentado, vocalizações incoerentes, gritos, prantos, dar socos, balançar o corpo, levantar-se da cama ou fugir do aposento, sonambulismo.

Há relativa ausência de resposta a esforços de outros para despertar e confortar o indivíduo durante o episódio.

Se o indivíduo desperta após o terror noturno, não há recordação detalhada de algum sonho e existe amnésia para o episódio. Existem apenas imagens fragmentadas e isoladas.

O Transtorno de Terror Noturno causa sofrimento significativo ou prejuízo no funcionamento social ou ocupacional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.

Não deve ser diagnosticado se os eventos forem decorrência dos efeitos fisiológicos diretos de uma substância (droga, medicamento) ou de uma condição médica geral.

O Transtorno de Terror Noturno também é chamado de “pavor noturno”.

A pessoa mostra-se confusa e desorientada por vários minutos e relata sentimento de terror, habitualmente sem conteúdo onírico (de sonhos).

Imagens oníricas vívidas e fragmentadas podem ocorrer, mas uma seqüência onírica, tipo estória (como nos pesadelos) não é relatada.

Com freqüência, o indivíduo não desperta totalmente, volta a dormir, tendo amnésia para o episódio na manhã seguinte ou em outros casos recordar vagamente terem tido um “episódio”, na noite anterior, mas não possuem uma recordação detalhada.

Ocorre um episódio por noite, embora diversos episódios possam ocorrer em intervalos durante noite.

Álcool, sedativos, privação de sono, perturbações nos horários de sono-vigília, fadiga e estresse físico ou emocional aumentam a ocorrência dos episódios.

O Transtorno de Terror Noturno é mais comum no sexo masculino, entre crianças.  Nos adultos, a proporção entre os sexos é uniforme.

O problema envolvendo os episódios pode prejudicar os relacionamentos. Os indivíduos podem evitar situações como participar de acampamentos, pernoitar em casa de amigos ou dormir com outra pessoa na mesma cama.

Transtornos associados: Transtorno de Estresse Pós-Traumático, Transtorno de Ansiedade Generalizada, Transtornos da Personalidade Dependente, Esquizóide e Borderline.

O Transtorno de Terror Noturno deve ser diferenciado de outros transtornos como o Transtorno de Pesadelo, Transtorno de Sonambulismo, Transtorno do Sono Relacionado à Respiração e convulsões que ocorrem durante o sono.

Comente este texto!






Voltar para o Topo

Psicólogo Flávio Roberto Pereira

Sobre Flávio Pereira