Transtorno do Desejo Sexual Hiperativo

Por Flávio Pereira

image

O CID – 10 , Classificação de Transtornos mentais e de Comportamento, aponta o código F 52.5 como Transtorno do Impulso Sexual Excessivo.
Tanto mulheres como homens podem se queixar de impulso sexual em excesso, como um problema e sofrimento.
Temos percebido em nossa experiência clínica que os indivíduos que sofrem com este transtorno reclamam:

1. Da não capacidade de manter a exclusividade com o parceiro sexual, seja namorado, noivo ou cônjuge.
2. Dificuldade de me manter com comportamento monogâmico, apesar de tentativa para isso.

O Desejo Sexual Hiperativo caracteriza-se pela falta de controle da motivação sexual. Em geral as pessoas que sofrem com este transtorno entram em atividade masturbatória compulsiva ou na busca de novos parceiros sexuais, mesmo sob risco de perder os seus relacionamentos amorosos. O transtorno é mais freqüente em homens, mas muitas mulheres também buscam novos parceiros para o sexo, seja no ambiente virtual, indo a bares ou pontos de prostituição, colocando em risco também a saúde pela Hepatite B e C, HIV, entre outras.

O Sexo Patológico é uma compulsão sexual, é uma dependência, uma variante do vício em drogas ou em jogo, o mecanismo psicológico é o mesmo. O sexo patológico é diagnosticado quando a pessoa perde a liberdade por não conseguir controlar os seus impulsos e sofre com o comportamento.

Certos pesquisadores acham que pode haver alguma origem orgânica para esse tipo de distúrbio.

A maneira de pensar das pessoas que sofrem com o transtorno é distorcida. Muitas vezes elas não admitem ter o transtorno, e por isso não buscam ajuda. A vergonha de expor a dependência impede o tratamento.

Enquanto a ajuda não for buscada devido à vergonha ou ao medo não haverá mudança de comportamento.

Para essas pessoas, é muito difícil admitir que precisam de ajuda profissional. Elas só procurarão a psicoterapia quando, por causa dessa compulsão ou dependência, passam a sofrer graves prejuízos na vida afetiva, conjugal, social e no trabalho.

Após a busca de parceiros, acontece uma ansiedade no momento da pré-atividade sexual e, após o orgasmo, segue-se uma sensação de culpa ou de vazio com bastante freqüência.

O tratamento indicado é a psicoterapia, tanto em grupo quanto individual.

Sozinhos dificilmente conseguirão resolver esse problema.

Em certos casos há necessidade também de medicação receitada por um psiquiatra.

Grupos de auto-ajuda semelhantes aos Alcoólicos Anônimos, podem trazer resultados positivos. Pesquise o grupo abaixo.
DASA – Dependentes de Amor e Sexo Anônimos - www.slaa.org.br/br/index.htm
Mas na compulsão muitos precisam de medicação + psicoterapia para ajudar a conter a excitabilidade e a mania.

Quem não tem convênios pode procurar ambulatórios de psiquiatria de faculdades de medicina ou psicoterapia em faculdade de psicologia, pois no último ano os alunos atendem gratuitamente com supervisão de um professor.

Comente este texto!






Voltar para o Topo

Psicólogo Flávio Roberto Pereira

Sobre Flávio Pereira